Moçambique e Alemanha juntos pelas energias renováveis

Moçambique e Alemanha juntos pelas energias renováveis

A Agência Alemã de Cooperação Internacional vai apoiar Moçambique com um fundo de 3 milhões de euros para energias renováveis. Objetivo é ajudar famílias que ainda dependem do carvão e da lenha, por exemplo.

Moçambique e Alemanha promovem esta quarta-feira (31.07) na cidade Maputo um novo fundo, com verbas a rondar os três milhões de euros, para que as populações mais desfavorecidas possam ter acesso a energias renováveis.

Esta iniciativa tem como principal objetivo “acelerar o acesso à energia para milhões de Moçambicanos”, disse a Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade (FDC) num comunicado. O projeto  é desenvolvido juntamente com a Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ).

Além do acesso à energia renovável, estas duas instituições pretendem que este fundo sirva também para promover o desenvolvimento e expansão do setor privado, encorajar o empreendedorismo feminino e prestar resposta rápida a situações de crise humanitária.

No comunicado divulgado à imprensa também foi salientado que esta iniciativa serve como “resposta à necessidade de propor alternativas para a redução da pobreza, encorajando o crescimento económico nas zonas rurais, urbanas e periurbanas do país”.

Financiamento faseado

Este financiamento será disponibilizado em três janelas. A primeira, de “acesso”, para promover soluções modernas de energia renovável às famílias que estejam fora da rede nacional, através de fogões melhorados e sistemas fotovoltaico.

A segunda janela, de “uso produtivo”, pretende desenvolver soluções solares fotovoltaico e equipamentos de energia para empresas comerciais e agrícolas em áreas rurais, exclusivamente.

A terceira janela é “humanitária” e pretende disseminar fogões melhorados e soluções solares fotovoltaicas para famílias vulneráveis.

A previsão é de que os fundos iniciais da janela humanitária sejam aplicados apenas nas regiões mais afetadas pelo ciclone Idai, que atingiu as províncias de Manica e Sofala em março deste ano.

Fontes de energia

Em Moçambique a maioria das famílias ainda usa lenha e carvão como principias fontes de energia para cozinhar, aquecer e iluminar as suas casas. Isto faz com que haja ainda uma grande procura por estes dois tipos de combustível para uma casa se poder sustentar, mas faz com que seja umas das principais causas da degradação ambiental e florestal no país. Apenas 28% da população tem acesso à rede elétrica. Nas zonas rurais apenas 5% da população tem acesso à rede elétrica nacional.

Fonte: Deutsche Welle